Select Page

ENTREVISTA: KVSH @ RIOMUSICCONFERENCE.COM.BR

ENTREVISTA: KVSH @ RIOMUSICCONFERENCE.COM.BR

dos mais novos talentos da música eletrônica nacional, o mineiro Luciano Ferreira, conhecido por seu projeto KVSH, viu sua carreira deslanchar após a criação da faixa “Potter”, em 2016. Na sequência vieram vários bootlegs, remixes e, mais recentemente, o videoclipe da autoral “Sede Pra Te Ver”, com Breno Rocha e Breno Miranda (Noone). Assista ao clipe abaixo.

Enquanto isso, os shows seguem pipocando. Neste mês de Julho, Luciano vai fazer 12 shows em nove estados diferentes. Confira abaixo o novo videoclipe e a entrevista:

Estava na pista durante seu show no Electric Zoo e pude sentir os graves de um set bastante dinâmico e diversificado, com mixagens rápidas e um público bastante animado. Tocar em festivais como o EZOO e XXXPERIENCE BH contribui para popularizar mais seu nome pelo Brasil? Quais os próximos grandes festivais em que vai tocar este ano?
Com certeza! Sempre me inspirei em grandes nomes internacionais que estão presentes nos maiores festivais do mundo. Ter um set dinâmico sem se prender a um único estilo me possibilita “brincar” bastante com a pista e tentar deixar a galera da forma mais energética possível. Sempre tive isso em mente tanto nas produções quanto nas apresentações e isso está me possibilitando diferenciar de outros artistas principalmente quando o assunto é grandes festivais.
Esse ano tive uma grande abertura tocando no Planeta Brasil, Stereo Festival, EZOO & XXXPERIENCE BH. Nos próximos meses grandes festivais estão por vir, mas estou na torcida de poder mostrar meu trabalho na XXXPERIENCE SP, pra mim sempre foi um sonho me apresentar nesse festival.

Sua carreira parece estar fluindo em um ritmo muito rápido, certo? Da faixa “Potter” pra cá, temos acompanhado shows lotados e a base de fãs crescendo rapidamente. Já é possível viver somente de música? Que rumo profissional você teria escolhido se não fosse a carreira artística?
Sim, posso confessar que a minha “ficha” ainda não caiu! Desde o lançamento da “Potter” decidi focar 100% no meu trabalho, hoje posso dizer que tento gastar o mínimo nas despesas pessoais e investir tudo que posso no projeto. Creio que não escolheria algo diferente da música, meu sonho sempre foi viver disso. Costumo dizer que se algo der errado na minha carreira vou continuar trabalhando com produção musical, porém em outras áreas e gêneros.

Este mês você tem 12 shows agendados em 9 estados diferentes. Como você tem conciliado a vida na estrada com a família?
Essa sem dúvidas é uma das partes mais difíceis pra mim, sempre vivi com meus pais e nos últimos meses me mudei para Belo Horizonte para facilitar as questões de logística. Tento tirar ao menos um dia da semana para ir para a minha cidade (Nova Lima/MG) e passar o maior tempo possível com meus pais, meu irmão e meus avós. Minha família sempre foi a base de tudo!

Como foi o processo de criação a track “Sede Pra Te Ver”?
A “Sede Pra Te Ver” foi sem dúvida uma das músicas mais diferentes que eu já fiz. Sempre gostei de arriscar e quando o Breno Miranda (Noone) e o Breno Rocha vieram com a ideia de fazer um som mais orgânico, com vocais brasileiros e diferente das vertentes que estão rolando no Brasil, eu topei na hora! O processo foi muito rápido, gravamos os vocais e as guitarras no estúdio de um amigo e fomos para a minha casa. Passamos dois dias plantados no estúdio tentando criar algo que casasse um breakdown melódico, orgânico com um drop enérgico. Depois de muito tentar achamos o timbre do trompete e a linha de melodia que funcionasse com o groove do bass.
O que mais nos assustou com a música foi a questão de não ter sido lançada em nenhuma gravadora e tomado a proporção que tomou. Quando terminamos a música, enviamos pra diversas “Major Labels” e todas responderam pedindo para trocar alguns elementos, batemos o pé e decidimos lançar por conta própria no spotify e no itunes. O resultado foi tão bom organicamente que atingimos 400.000 plays em um mês e meio de lançamento, e hoje conquistamos uma abertura mais flexível com diversas gravadoras para os próximos releases.

O que podemos esperar do seu estúdio nos próximos meses? Quais os próximos lançamentos previstos?
Além do lançamento do meu primeiro clipe estou trabalhando a todo momento em novas tracks, porém com o foco em tracks autorias com mais melodias e drops mais pesados pra pista. Venho buscando mesclar um pouco o que era o antigo “Progressive House” porém com essa roupagem do bass brasileiro.
Estou com 6 músicas autorais novas além de 2 remixes importantes, a meta é finalizar mais duas tracks, e no início de julho fazer um showcase online para mostrar o que está por vir.

Alguma dica especial aos aspirantes na profissão?
A minha dica é tentar fazer algo diferente e novo. Geralmente no Brasil a grande maioria dos produtores tenta fazer o som que está rolando no momento, e esquece de arriscar em coisas novas. A música precisa ser colocada sempre em primeiro lugar, o que vejo acontecendo com diversos produtores é que alguns se preocupam mais com a imagem e o marketing do que o seu próprio som. Se a música tiver a sua identidade e originalidade tudo vai fluir e de uma forma muito mais natural.